Seja bem vindo ao Universo da Aposta

Home » ArtigosCasas de Aposta » Apostar em Counter Strike

ArtigosCasas de Aposta

Apostar em Counter Strike

Counter Strike, se não é o jogo competitivo mais famoso da história, ele está lá entre os maiores. Sua história começa nos primórdios dos jogos online, na época das lan house’s. O jogo passou por várias transformações, até chegar onde está atualmente, no Counter Strike: Global Offensive. Com tudo isso, algo é bem certo, suas apostas movimentam as plataformas. Por isso preparamos um guia, para entender como apostar em Counter Strike.

Vamos explicar umas informações importantes do jogo, passando pelos princípios básicos do FPS (First Person Shooter, Jogo de Tiro em Primeira Pessoa). Além disso, vamos entender como as apostas no CS funcionam e os motivos de estarem no topo do cenário de Esports.

Counter Strike e a sua revolução nos jogos de tiro

apostar em counter strike

Os jogos de tiro, durante muitos anos, eram baseados em acontecimentos históricos, como as guerras. Além disso, o seu foco era em histórias e pouca competitividade. Em 1998 surgiu um dos projetos ousados da Valve, o Half Life. Era mais um jogo de história, mas dessa vez com um foco em alienígenas. 

Porém, em 1999, seguindo uma modificação dentro do Half Life, surgiu um jogo extremamente competitivo e amado, o Counter Strike. A ideia era ter duas equipes de 5 jogadores, buscando cumprir diferentes objetivos. Para se ter uma ideia, basta lembrar o jogo infantil, ‘Policia e Ladrão’.

Os times são separados em Terroristas e Contra Terroristas. No lado dos Terroristas, os jogadores devem levar a bomba (C4) para um dos locais de bombas e ativá-la no chão. Por outro lado, os Contra Terroristas devem fazer o papel de defensor, protegendo as regiões das bombas e desativar a C4, quando ela for plantada.

Outro fator importante no jogo, é a economia. Ao abater um inimigo, ganhar uma rodada, plantar a C4, desarmar ela e entre outros, ajuda a ganhar dinheiro. Com esse dinheiro, os jogadores podem comprar equipamentos, como pistolas, armas principais, coletes, granadas e kit de defusar a C4. Com esses equipamentos, os jogadores conseguem melhores vantagens, garantindo pontos em cada rodada.

Por conta de todo esse sucesso, em 2000, foi lançado oficialmente o Counter Strike. Depois disso, a cada ano que passava, novas atualizações foram surgindo, arrumando alguns problemas. Contudo, a grande mudança aconteceu na versão 1.6, que foi quando o jogo se tornou muito mais popular.

Atualmente, o jogo se reformulou e tornou-se o que conhecemos, o Global Offensive. Porém, nem sempre foi assim.

O declínio do Counter Strike e a sua ascensão com o CS:GO

apostar em counter strike

Durante muitos anos, o CS ficou entre os jogos mais jogados, quando era o CS 1.6. As lan houses viviam cheias, com adolescentes querendo jogar contra os seus amigos ou fazer os famigerados ‘corujões’, passando a madrugada acordado jogando. Com isso, o cenário começou a crescer, com times de amigos entrando em algumas disputas.

Tais disputas eram totalmente amadoras e davam premiações bem irrisórias. Porém, alimentavam a competitividade. Inclusive, foram em tais disputas que grandes lendas do cenário, como o Gabriel “Fallen”, Lincoln “fnx”, Marcelo “coldzera” e entre tantos outros. Aos poucos, as disputas de lan house começaram a se tornar campeonatos maiores, dando premiações elevadas, além de uma chance de disputar campeonatos internacionalmente.

Além disso, um dos pontos mais fortes do Counter Strike foi de ter um sistema aberto. Ou seja, era possível outros jogadores usarem a base do jogo, para construir novos mapas ou outros modos. Quem não se lembra do famoso mapa da piscina ou até mesmo do Rio de Janeiro. 

Contudo, mesmo com as coisas se encaminhando bem, o cenário competitivo estava enfrentando sérios problemas. Com um jogo sendo lançado com vários problemas e uma pausa dos grandes campeonatos, o CS Source e o CS:GO estava levando o jogo a falência. Os campeonatos aconteciam em menor frequência e novos jogos foram surgindo, buscando conquistar o público.

Muitos deles acabaram migrando, pois as novas atualizações do jogo estavam exigindo mais dos computadores. Tais exigências acabaram deixando a sua atratividade de lado, além dos diversos problemas. Porém, aos poucos as coisas foram se resolvendo e em uma atualização massiva, o jogo se transformou, se tornando o grande sucesso no qual se tornou.

Entendendo como funciona uma partida de Counter Strike

Counter-Strike: Global Offensive on Steam

O Counter Strike tem a sua base muito bem fundamentada. Tanto que, depois disso tudo, diversos jogos surgiram com a mesma temática. O estilo de jogo é algo bem simples, atacar em um mapa e tentar eliminar os adversários. Contudo, o que acaba diferenciando, são as execuções que são feitas em cada mapa.

Relembrando, o jogo funciona da seguinte forma:

  • Os Terroristas devem atacar um dos dois bombs. Em todos os mapas sempre vão haver apenas duas regiões de bombs, facilitando os jogadores.
  • Nesse ataque, os Terroristas possuem dois objetivos. Ou eles abatem todos os adversários, ou tem que plantar a C4 e proteger a sua explosão.
  • O tempo para a C4 explodir é de, aproximadamente, 40 segundos.
  • No lado do Contra Terrorista, os jogadores devem defender as duas regiões dos bombs e as suas entradas.
  • Na defesa, os CT’s devem eliminar todos os Terroristas. Caso a C4 for plantada, os jogadores devem desarmar a C4, antes do tempo acabar. Existem dois tempos de desarme, um normal e outro com o kit. O tempo normal é de 10 segundos e com o kit, o tempo diminui para 5 segundos.
  • Para vencer um mapa, o time deve fazer 16 pontos. Porém, caso as equipes empatem, no 15-15, elas vão precisar entrar no desempate. Para resolver o desempate, as equipes devem conseguir fazer 4 pontos. Caso voltem a empatar, mais uma rodada de desempate tem que acontecer.
  • Alguns campeonatos usam os formatos que exigem vencer mais de um mapa, os chamados melhor de três. Por conta disso, as partidas costumam durar bastante tempo.

O cenário competitivo de Counter Strike

A Valve, desenvolvedora do CS:GO, atualmente participa da organização de apenas dois torneios por ano. São os chamados “Majors”, considerados os campeonatos mundiais da modalidade e que também costumam possuir as maiores premiações da temporada, na casa do US$ 1 milhão (R$ 3,7 milhões) cada.

Nos Majors, também são lançados os adesivos, itens correspondentes aos jogadores e às equipes que podem ser adquiridos pelos usuários e colocados nas armas. A iniciativa traz uma customização ao jogo e é, ao mesmo tempo, uma forma de o jogador casual ajudar financeiramente o time ou pro player preferidos, já que 30% da arrecadação vai para eles.

Os demais campeonatos acontecem por outras organizadoras, como a ESL, ESEA, FACEIT, PGL, BLAST, ELEAGUE, DreamHack, StarLadder, WESG e entre outras. Esses campeonatos acontecem a todo momento e podem ter times de diversas regiões. Então, é bem comum ver equipes brasileiras jogando campeonatos norte-americanos e europeus.

Isso pode acarretar em duas coisas completamente opostas. A primeira delas é que o sistema de liga aberta permite vários campeonatos acontecendo a todo tempo. Basicamente, não existem longos períodos sem jogos. Por outro lado, a liga aberta é algo muito complicado, deixando muitas regiões abandonadas. O próprio Brasil é um exemplo grandioso. A nossa região possui poucos campeonatos, deixando as equipes enfraquecidas. Então, basicamente, a única forma de conseguir grandes resultados, é indo para regiões mais fortes.

Quais são as regiões mais fortes?

Circuito Global de CS:GO produzido por renomados Organizadores de Torneios  e contando com $3.400.000 de dólares em premiações.

As duas regiões de maior prestígio no CS:GO são a Europa (EU) e a América do Norte (NA). São, historicamente, as regiões com mais títulos internacionais e onde o game tem maior popularidade. Por conta disso, ambas as regiões possuem uma prioridade maior na hora que as organizadoras convidam as equipes para os seus campeonatos.

Dado o crescimento do CS:GO no Brasil, a América do Sul vem ganhando espaço e em vários torneios já conta com qualificatórias próprias. Equipes de maior reconhecimento internacional, como a MIBR, costumam ser convidadas diretamente para a fase principal das competições. Quando não há uma seletiva específica para a região, os times precisam bater de frente com adversários da América do Norte.

Outra região que recebeu classificação própria é a dos países da Comunidade dos Estados Independentes (CIS), que abrange a Rússia e ex-repúblicas soviéticas.

Diferentemente da maioria dos jogos, o mercado asiático é pouco representado nos grandes palcos do CS:GO. Porém, a região sempre garante ao menos uma vaga para torneios importantes e tem aumentado a organização de novos campeonatos. Times chineses como a Tyloo Gaming e a coreana MVP PK são bons exemplos de equipes que costumam frequentar os grandes torneios.

Detalhe importante é que, no CS:GO, a nacionalidade de uma equipe não é determinada pelo país da organização, mas sim pela maioria simples das nacionalidades dos jogadores da line-up. No caso de quintetos internacionais, vale a região que os países dos jogadores representam.

O que são as apostas?

O cenário das apostas é algo bem antigo e popular. Inicialmente, as apostas eram num formato arcaico, nos locais dos jogos. Algumas histórias acabam citando as corridas de cavalos como origem, porém nada é 100% correto. Agora, algo que pode-se afirmar com certeza é que, com o crescimento da internet, surgiu a vontade de abranger o mercado. 

De forma resumida, as apostas são uma forma de palpitar num determinado esporte, buscando receber um lucro, caso a aposta se concretize. Os usuários entram numa determinada plataforma, insere o seu dinheiro e aposta no vencedor. Com isso, ele irá receber, caso acerte o resultado, seu dinheiro de volta com um adicional.

Porém, por mais simples que sejam, as apostas possuem algumas particularidades e nomenclaturas que necessitam serem explicadas. Inicialmente, é necessário explicar o que é o adicional ganho nas apostas corretas. Esse adicional é o que chama mais atenção no mercado de apostas. 

O adicional é chamado de odd ou o coeficiente multiplicador das apostas. Os odds é o que dita quanto um jogador poderá receber apostando num determinado time ou equipe. Sua base é de acordo com o risco de derrota de uma das equipes. Quanto maior o risco, maior o odd, ou seja, maior o coeficiente. Significando que, caso aposte naquele time e ele vença, o apostador irá receber mais dinheiro de volta.

Para exemplificar, segue uma situação hipotética. Dois times irão se enfrentar, o time A e o time B. É de conhecimento geral que o time A é melhor e possui um histórico longo de vitórias contra o time B. Por conta disso, o risco de apostar no time A é pequeno, pois o histórico diz que ele poderá vencer. 

Como apostar em Counter Strike?

apostar em counter strike

Entendendo os conceitos das apostas, fica mais fácil de entender como funcionam as apostas no Counter Strike. Por conta do jogo ter um sistema bem simples, são poucas as opções de apostas. Ou seja, além das apostas no vencedor, as demais opções costumam variar pouco.

Um dos modos para dar de exemplo, são os placares exatos no mapa, placar exato em série, time a pegar o primeiro abate e o famoso Handicap. O Handicap é um dos modos mais complexos das apostas e traz um questionamento bem grande. Para explicar de forma simples, o handicap seria uma forma de tentar equilibrar as duas equipes.

Existem valores positivos e negativos, com a ideia de que a equipe deve chegar mais perto do 0. Então, se um handicap começou em -6.00, para que a aposta se concretize, a equipe deve ter uma vantagem, no placar acima de 6 pontos. No Counter Strike isso acontece antes das partidas, no placar do mapa. 

Para apostar em Counter Strike, existem alguns sites que costumam oferecer. Por ser um esporte eletrônico, não são todas as casas de apostas que possuem tal acessibilidade. Atualmente, existem duas plataformas bem fortes, a Betway e a Rivalry. Ambas possuem um sistema bem construído, mas com públicos diferentes.

A Betway aposta no tradicionalismo, com uma plataforma focada no esporte tradicional e uma construção mais padrão. Inclusive, ao entrar na plataforma, os esportes tradicionais são oferecidos. Para acessar a parte de Esports, o usuário deve selecionar uma das opções na coluna à esquerda.

Enquanto que a Rivalry foi construída pensando no público dos Esports. Para os usuários mais tradicionais, o site pode parecer um pouco confuso, mas em pouco tempo, a adaptação é certa. Além disso, os esportes tradicionais são oferecidos na plataforma também.

COMPARTILHE